10/10/2012

PROCLAMAÇÃO PELO RESGATE DA ALMA PORTUGUESA

imagem pública tirada da net
*
PROCLAMAÇÃO
PELO RESGATE DA ALMA PORTUGUESA!!!
:::=:::
Considerando que este governo que hoje se governa em Portugal, penhorou a alma do povo Português...
Considerando que o mesmo governo, tem uma ânsia voraz de saquear os rendimentos do trabalho a todo o custo...
Considerando que o país, Portugal, se encontra mergulhado num marasmo, pela inércia e pela indignação geral, face ao desemprego, à falência de empresas e projectos, à perda da esperança...
Considerando que este governo não tem ideias nem competência nem valências, nem sensibilidade humana...
Considerando que este governo atira o país e o povo para o abismo...
Proclamamos:
- A demissão imediata deste governo e apuramento dos eventuais crimes de ilícitos contra o povo, desde logo a forma como se ressarciram ao privarem-se dos lautos vencimentos que usufruíam na área privada...
- A devolução imediata dos salários, chamados subsídios, a todos os trabalhadores e reformados vitimas deste saque hediondo...em dinheiro vivo ou sob a forma de certificados de dívida pública ao mesmo juro que se paga aos credores...
- A renegociação da chamada dívida pública de Portugal, com auditoria independente e popular, para apuramento da sua real dimensão e justeza, do ponto de vista das relações humanas e o seu ajustamento à realidade de hoje, com pagamento diluído por vários anos, de acordo com a nossa sustentabilidade...
- A declaração de neutralidade do estado Português...
- A análise às condições de permanência na zona euro e a eventual saída se se verificar que o país não suporta estas condições extremas de aderência...
- A denúncia imediata de todos os contratos com as PPP, sem qualquer indemnização por parte do estado...
- A cessação das chamadas rendas energéticas, e outras subvenções de carácter obscuro a fundações, clubes ou associações desportivas e ou de utilidade pública...abolição dos institutos públicos que não tenham reconhecida importância para o funcionamento da coisa pública...
- A suspensão das privatizações já agendadas...
- A criação dum imposto sobre as grandes fortunas, juros de capitais, mais valias bolsistas e outras, bem como sobre o património de luxo, móvel e imóvel...
- O estabelecimento, nas actuais condições, dum salário mínimo Nacional, no valor de E 800 (euros) e dum salário máximo de E 8.000 (euros) , sem quaisquer outras com participações, para toda a administração pública e empresas públicas ou privadas...
- A exortação aos empresários para que abracem a causa do desenvolvimento da comunidade Portuguesa, estimulando e apoiando os altos índices de criatividade, dos trabalhadores Portugueses-..
- A exortação aos trabalhadores para que se lancem com a alma resgatada, unidos pelos mesmo ideal de vida e valores humanos, para, com a pujança, a arte e a sabedoria dos seus conhecimentos e vontade, impedirem o ultraje de sermos absorvidos como parte da massa falida do estado e da Nação...
- A denúncia de todos os actos ou indícios de corrupção ou favorecimento pessoal ou de grupo, por parte de quem dele tenha conhecimento, seja por ver, por ouvir, ou sentir que a coisa pública está a ser vilipendiada, desviada dos seus objectivos humanitários, ou roubada em proveito pessoal ou de grupos de interesses...
- A redução da frota de viaturas ao serviço de agentes do estado e autarquias a um mínimo essencial ao funcionamento racionalizado dos actos de administração e representação...
- A redução a zero, das habitações de luxo para instalação de serviços e ou personalidades, tipo o Palácio de Belém ou o Campus da Justiça...
- O fim das subvenções a partidos políticos...
- O aproveitamento de professores e outros agentes de educação para uma campanha geral de instrução à população de Portugal,  nas áreas da língua, da matemática, da história e da educação cívica, sem o que o povo permanecerá fragilizado perante a demagogia dos oradores bem falantes e sem escrúpulos de cidadania...
- O fortalecimento do apoio aos actos culturais que divulguem, dimensionem, e consubstanciem a alma Portuguesa...
- O trabalho da terra deve ser intensificado contra todas as barreiras que nos foram sendo impostas...hortícolas, pomares, flores, culturas de sequeiro ou de regadio, rasguemos a terra com as enxadas se não houver máquinas, rasguemos a terra com as mãos se não houver enxadas...desenvolver a pecuária e as actividades leiteiras... e todas as actividades de conservação de alimentos...
- O trabalho do mar onde houver pesqueiros, a intensificação da aquacultura e das actividades derivadas da pesca, a congelação, a secagem  e a conserveira...
- A reorganização da justiça, de modo a que todos sejam tratados por igual, de facto,procedendo às alterações julgadas necessárias que hoje dificultam a sua aplicação com celeridade e justeza...
- Um perdão generalizado de dívidas que recaem sobre as pessoas, vitimas da usura e da propaganda que as levou a exacerbarem o consumo, fim das penhoras sobre salários e ou casas de habitação, para todos os cidadãos com salários ou pensões abaixo dos E 2.000 (euros) ou desempregados...
- A reorganização das forças policiais numa só entidade...
- A reorganização das forças armadas... a sua redução até limites sustentáveis e de modo a contribuírem para a formação defensiva de toda a população a partir dos 18 anos, em acções pontuais e centralizadas numa perspectiva de defesa da alma e da terra Portuguesa...
- A descriminalização de todo o tipo de drogas hoje consideradas ilícitas e a sua venda livre nas farmácias, acompanhada de uma pedagogia de alerta,desde a escola, para os efeitos e perigos de insanidade que tal uso pode provocar aos consumidores, como sendo a única forma de acabar com o tráfico e a coacção sobre a personalidade das nossa crianças puberes...
- O fim de toda a actividade económica paralela...
- O respeito integral pelo meio ambiente, pela fauna que mantém o equilíbrio na natureza e pela própria natureza como sendo parte indissociável da felicidade humana...
- A institucionalização do amor...o aprofundamento da visão feminina da vida...a instauração duma democracia participativa...
***
Antes pastores da Lusitânia que vítimas da Tirania...podem levar-nos o ouro, a luxúria e a soberba, mas a Terra, o Mar e a Alma são nossos...A Alma, sim! Vamos Resgatá-la...por um Novo Humanismo!!!

autor: jrg

2 comentários:

jorge vicente disse...

E tens muito bem dito, meu amigo!

Muitos abraços
Jorge Vicente

Manuel Salgado Alves disse...

Caro amigo,
O seu "manifesto" revela-se altamente subversivo, pois pretende pôr fim à corrupção dos governantes e à corrupção clientelar dos partidos!
Também põe o dedo nas feridas da corrupção: considerar nulos os contratos das PPP denunciados como ruinosos pelo Tribunal de Contas, bem como pôr fim às rendas de milhares de milhões de euros para alguns monopólios naturais, tornados privados pela política do "vende a pátria a baixo preço ao grande capital estrangeiro" (autoria de António Borges), seria porventura o caminho alternativo á austeridade com que nos querem colonizar!
Defender a soberania económica portuguesa, defender a dignidade de quem trabalha e dos reformados, enfim defender solidariedade e mais equidade social, seria pôr em causa os desígnios fanático-liberais do presente Governo!
Declaro-o por isso inimigo da cleptocracia portuguesa!
Um abraço fraterno