17/07/2010

NA RAIA DA RUPTURA...

XXIII


Ouço
a sentir-te
quero entender
quero sofrer o que tu és
tens sofres
tão bom que vens
fico

a música que me mandas
amor de dentro
cigana raiana
imagino-te as ancas
a balançares-te
para mim
entre sorrisos

insegura...
desinquietas-me
tão bela e pura
porque nos queres de verdade
porque as palavras
estarmos sermos
nos te me desassossegam

as palavras tocam-se
num limite difícil de localizar
e tocam-nos como se pele
como se sangue e nervo
elas as palavras
levam beijos e caricias
amam-se

ambos o sabíamos
pensa-me
deixo que me penses
e sei que talvez quisesses
antes certezas de mim de ti
ouço a tua música
tocar-te... eu...a tua voz

e beijo-te
onde te guardo
bela
pura
tão perto
onde te sinto
amor


autor:JRG

2 comentários:

Mariana disse...

música,voz...tudo uma interligação que gosto
bela,pura.Guardo-a.

Obrigada pela doce e gostosa visita.Soube-me a sorriso logo pela manhã.

tem a palavra o povo disse...

Olá Mariana...fui ver e não te vi...ou porque o meu sentir-te me distraiu o olhar...deambulei por artes da tua sensibilidade poética...e fixei-me no que te sai da alma...
trago-te no sorriso todas as manhãs...
beijinhos