08/02/2009

PARABÉNS AMOR!...e vão 39

P A R A B É N S AMOR!...e vão 39
O vestido branco arrastando pelo chão, encobrindo as tuas pernas maravilhosas, sufocando os aromas do teu corpo, a grinalda de flores brancas sobre os teus cabelos negros, os teus olhos verdes, raiados de verdes intermédios, de tom escuro. mágicos , onde aprendi a ler de ti, da alma esfuziante de encantos. A luz dos teus olhos, aprendi que era amor, altivos e submissos, não a mim, de mim, mas a algo que aceitamos como o sendo do nosso ser.
O sorriso de felicidade, as gargalhadas, a ternura com que me beijavas a cada instante, por cada motivo, por mais banal. O pote do arroz que despejaram à nossa passagem triunfal, como se carecêssemos da tradição para nos consubstanciarmos de e em amor eterno.
A cerimónia do sim ante as testemunhas, o ar incrédulo de alguns que não acreditavam na possibilidade de sermos amantes, ou talvez aguardassem um desfecho trágico à sublimidade de nos amarmos para além do racionalmente aceite.
Hoje olhei-te e vi o mesmo brilho. Penso que o vi em todos os anos a sete, e sinto a mesma ansiedade, o bater forte do coração, como se fosse hoje o dia sempre em absoluto.
Só eu vejo a tua pele luzidia, só eu vislumbro o brilho dos teus olhos, só eu capto o encanto do teu sorriso, só eu te sinto airosa, o andar igual , a voz doce e quente que me chamava amor, que me chama amor. Só eu sinto que os anos não passaram, que és a minha eleita, o meu mimo de ternura, na doença e na alegria, nas tempestades agrestes que nos assolaram. Onde outros fraquejaram por tão pouco, nós erigimos uma fortaleza de amor.
És um exemplo de mulher no comando. Trabalhaste, foste e és mãe, avó, amante fulgurosa, a financeira que resolveu as crises, a mãe que desceu ao fundo e esgatanhou a besta. Eu fui o sonho, o sonhador que interpretou a vida como um romance em que os personagens se agitavam nas águas revoltas e lamacentas e se erigiam em ondas de espuma para continuarem a ganhar tempo ao tempo. O tempo decidiria, decidiu?
Olho-te hoje e vejo a mesma menina de há quase quarenta anos. Minha paixão de amor, minha eternidade. Habituei-me aos novos aromas, à rebeldia da tua intransigência, beijo-te nos lábios e chamo-te amor. Há quantos anos és o meu amor?
Hoje vamos ser de novo como dantes, renovaremos o cenário, ou reinventá-lo-emos, haverá música suave ao jantar, talvez velas, flores, trocaremos sorrisos e olhares indiscretos, daremos as mãos, terás momentos de ser mais coquete, talvez tomemos um duche juntos e deixar-nos-emos enredar na teia que vimos construindo, até à eternidade da tua infinitude de mulher.
Amo-te

6 comentários:

Parapeito disse...

...Linda esta declaração de amor...
Parabéns aos dois...e mais um cadinho a "Ela"...pois pelo que escreveu é alguem raro:)
Que continuem assim sempre e tanto a amarem se...e que nunca se cansem de ter sede um do outro...
se me permite aqui deixo para os dois algo sublime de Eugénio :
***
A boca

A boca,
onde o fogo
de um verão
muito antigo cintila,
a boca espera
(que pode uma boca esperar senão outra boca?)
espera o ardor do vento
para ser ave e cantar.

Levar-te à boca,
beber a água mais funda do teu ser
se a luz é tanta,
como se pode morrer?

Que o vosso amor nunca morra que dure pela eternidade....e mais além**

maria loBos*

tem a palavra o povo disse...

maria loBos.

é possivel que esteja escrito
que exista porventura na genética
que seja até raro este espirito
de dar ao amor forma poética

eu quero é espalhar blocos de amor
que reflitam de Eugénio doce canto
amar todos amamos como a flor
ama a abelha que a tira d quebranto

respiro das palavras tuas a beleza
a força que denotas vida plena
sinto a tua amizade amiga mulher

viver assim não impede a tristeza
que só o amor desvanece nos serena
saúdo de ti o verbo a poesia o ser

Obrigado por tudo o que me vens dando.
Beijinho de amigo

rainontheroof disse...

olá.
Ja sentia a falta das tuas palavras encorajadoras.

Que bela declaraçao, parabens para os dois.
visto que é vindo do coraçao.

Porque foste o sonhador e ela a realista, num abstratismo fauvista que é este mundo, esta crise.

tem a palavra o povo disse...

amiga, quero que sejas sempre uma mulher coragem. Quando eu não for vem lembrar-me que existo. Agrada-me a doçura e o encanto das tuas palavras, o que quer que sofras eu já sofri, sinto que sairás vencedora.
Beijinhos de amizade

tibeu disse...

Bela declaração de amor. Parabens eu ainda só vou nos 32, mas felizmente tambem muito felizes. Tudo de bom para esse amor lindo

tem a palavra o povo disse...

TiBéu, amiga
de palavras doces,
vais a caminho,
plena de jovialidade
ouço até de ti a cantiga
a desejar que fosses
envolta em carinho
rumo à felicidade

Beijinhos